terça-feira, 13 de abril de 2010


LAMENTO

É embriagues, é cansaço, como é mal;
Viver por um amor sem mais sentimento...
Andar pelas ruas a procura dum beijo fatal
Por esquecer o coração jogado ao vento!

Matar ou morrer! Uma escolha crucial!...
Enterrar os desejos no horto do sofrimento,
Dissolver a cobiça, um pecado capital
A reger na alma a canção dum lamento!

Tão cruel! Ó rica paixão, tão desumano!...
Desfolhar-te por um acriançado engano
Que o peito afronta nos teus dias de falta.

Caminhando, vai vida, vai caminhando...
Hás de encontrar os afetos já debulhando
O beijo que a ti espera... na noite alta!...

(Poeta- Dolandmay)

Um comentário:

  1. Olá amigo!

    Esta poesia é muito bela ... parabéns.

    abraços

    ResponderExcluir