sábado, 27 de março de 2010

UM DIA...

Quando vier até mim à morte, Amor!
Quero-te toda branda no teu viver...
Quando o dia descansar de mim, a dor
Também descansará na luz do teu ser.

Quando vier a tu’alma a eu encontrar
Nos pés de Deus empossado de paz,
Quero-te a mim, por morrer nunca mais
O amor que me deste, num fino altar!

O meu coração é um ermo desastrado
Sob o teu querer doce e imaculado,
Que descansar prometeu entre a gente.

Mas deixa-me ir sem levar-te o pranto,
Sem que anoiteça ao teu acalanto
O amar-término dum viver descontente.

(Poeta- Dolandmay)

3 comentários:

  1. Estive ausente!!
    Hoje retorno e venho por aqui me fartar de poesia.

    Beijo ternurento

    Clau Assi

    ResponderExcluir
  2. Beijosss poeta ...eternamente ...

    ResponderExcluir
  3. Maravilhoso.
    Estou a seguir, vou voltar.

    Sonhadora

    ResponderExcluir